domingo, 14 de fevereiro de 2016

A bebê Que de Monstro se tornou Miss Itália.



Aos quatro meses de gestação, o médico que consultou Marisa Ferrante, disse que o feto tinha malformações. E se a gravidez fosse levada adiante, e a criança sobrevivesse, seria um “monstro”. 
Recomendou-lhe um aborto. 

Apesar das circunstâncias, numa atitude de entrega, Marisa rezou muito e resolveu aceitar o presente de Deus do jeito que ele viesse. Recusou a oferta do médico.

Cinco meses depois, em 1975, ela deu à luz uma menina saudável, deu-lhe o nome de Anna, que em 1995 tornou-se Miss Itália. 

A mãe de Anna optou pela vida do bebê, mesmo se a criança nascesse com problemas de saúde. Ela fez a escolha certa, afinal, uma criança doente ou com malformação dentro do ventre de sua mãe, merece ser cuidada, tratada, mas não morta.

Por isso, diga NÃO ao aborto!


Créditos: Paraclitus Facebook

O poder de encorajar o seu cônjuge

O incentivo deve ser uma parte regularmente praticada de um casamento saudável - palavra-chave:  praticada  .  O bom incentivo é julgad...