quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

SER ESPOSA DE PASTOR


Ser esposa de Pastor é ser aquela mulher sem nome, que cuida sozinha dos filhos durante os cultos tentando fazer com que eles fiquem quietinhos.

Que tem que ir a todos os eventos na Igreja, mesmo quando não está com vontade.
É ter sempre que estar com um sorriso nos lábios e com palavras amáveis mesmo quando seu coração está triste.

É ter que se calar quando escuta calúnias sobre seu esposo e ministério. 

É ser excluída das rodinhas de conversas por que o assunto é sobre ela ou seu esposo. 

É ser olhada de cima a baixo por causa das roupas que veste: muito arrumada? Tá errada!!! Pouco arrumada? Tá errada também!!!

É ser cobrada de ter que desenvolver muitos ministérios dentro da Igreja, porém se faz porque tem o dom, é ser apontada como protegida do Pastor. 

É sofrer retaliação quando seu esposo exorta alguém. 

É ficar sozinha em casa, cuidando dos filhos enquanto seu esposo vai cuidar das famílias dos outros.

É tentar conduzir seus filhos a terem uma espiritualidade sadia, mesmo quando ela está fraca. 

É ter que se mudar para cidades que não conhece ninguém, para apoiar seu esposo no seu chamado de cuidar de ovelhas, e não poucas vezes, de ovelhas rebeldes... 

É sentir-se sozinha por não poder dividir as dores de ser esposa de Pastor.

É permanecer anônima diante desse desabafo, sem poder assinar o próprio texto para não por em risco o nome daquele que foi posto diante das ovelhas do Jesus.


Billy Graham: “Um bom casamento envolve a esposa, o marido e Deus”

Um bom casamento não é algo que simplesmente acontece. Ele precisa de cuidados constantes. Você já teve um jardim? Se sim, você sabe q...