terça-feira, 8 de agosto de 2017

Os filhos de Deus e os filhos do diabo

 
A Descendência de Deus e
A Descendência da Serpente
“Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do
Diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede
de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão”
(1ª João 3:10).

A doutrina da predestinação mostra que há neste mundo, os que foram predestinados a salvação e aqueles que foram destinados a perdição, a partir de Caim. São as duas descendências, os filhos de Deus e os filhos do Diabo. A Bíblia diz que há neste mundo vasos de honra e vasos de desonra; ovelhas e cabritos; trigo e joio; filhos de Deus e filhos do Diabo. De Gênesis ao Apocalipse, a Escritura mostra, claramente, a separação entre estas duas sementes.
Isto sempre foi um grande mistério que os antigos não sabiam, os profetas não sabiam, os apóstolos não sabiam, mas quando Jesus revelou o Evangelho da Graça de Deus a Paulo, ele revelou todos os mistérios que, até então, estavam encobertos. O Apóstolo dos gentios disse: “A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais” (Efésios 3:8-10). Que mistério é este que Paulo se refere? O mistério da preexistência, da predestinação, das duas descendências, da segurança eterna da salvação, da deidade de Cristo e tantos outros. Infelizmente, este evangelho das insondáveis riquezas de Cristo tem sido totalmente ignorado pela igreja moderna.
A igreja não tem tornado conhecida esta multiforme sabedoria de Deus, pelo contrário, ela tem tornado conhecida a multiforme mentira de Satanás: que o homem é predestinado depois que aceita Jesus, que a salvação se perde, que o Diabo pode voltar com mais sete, que o crente não pode ir a praia, não pode ver televisão, que tem que fazer correntes de libertação e tantas outra barbaridades semelhantes a estas. Por tudo isto é que, a cada dia que passa, o povo de Deus vai se distanciando a passos largos do padrão que o próprio Deus requer dos seus escolhidos, e que Paulo ensinou dizendo: “Assim, pois, importa que os homens nosconsiderem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus” (1ª Coríntios 4:1). O povo de Deus não tem sido considerado despenseiro de nada. Qual é o mistério que o povo de Deus conhece hoje? Nenhum. O povo de Deus tem-se limitado a conhecer os milagres que Jesus realizou; que Zaqueu desceu da árvore, que a mulher hemorrágica tocou na orla do vestido de Jesus etc.
Quando o povo de Deus não tem conhecimento deste mistério revelado, a Bíblia se torna um livro muito confuso e as pessoas começam a fazer muitas perguntas que não tem respostas. Por exemplo: quando Saul foi ungido rei, o Senhor enviou o profeta Samuel com uma ordem expressa que dizia: “Vai, pois, agora, e fere a Amaleque, e destrói totalmente a tudo o que tiver, nada lhe poupes; porém matarás homem e mulher, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos” (1ª Samuel 15:3). Para quem não tem a revelação dos mistérios de Deus isto é um grande mistério. Como explicar que o mesmo Deus que disse: não matarás, agora venha e mande matar todo mundo, até crianças de peito?
Rebeca estava grávida de gêmeos, e Paulo disse aos Romanos que, “…ainda não eram os gêmeos nascidos, nem tinham praticado o bem ou o mal para que o propósito de Deus, quanto a eleição, prevalecesse, não por obras, mas por aquele que chama, já fora dito a ela: O mais velho será servo do mais moço. Como está escrito: Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú” (Romanos 9:11-13). Duas crianças, ainda não tinham nascido nem praticado o bem ou o mal, e Deus já havia decretado: Amei a Jacó e odiei a Esaú. Qual o critério que Deus usou? Porque Deus amou a um e odiou ao outro se ambos não tinham praticado nem o bem nem o mal? Tudo isto é um grande mistério.
Todos estes mistérios começam a ser compreendidos quando os nossos olhos são iluminados pela revelação da graça de Deus. Na sua epístola aos romanos Paulo disse: “Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vasopara honra e outro, para desonra? Que diremos , pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição, a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão, os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios? (Romanos 9:21-23). Aqui fica absolutamente claro que Deus teve o direito de fazer do mesmo barro, um vaso para honra e outro para desonra. Jesus mandou Paulo revelar à igreja que há neste mundo vasos de ira preparados para perdição, e vasos de misericórdia que para sua glória, Deus preparou de antemão.
A expressão do mesmo “barro” na Bíblia Inglesa é “womb”, que significa ventre, ou seja, do mesmo “ventre”, o de Rebeca, Deus teve o direito de fazer um vaso para honra, Jacó, e um vaso para desonra, Esaú. No texto de Romanos, Paulo está se referindo a Rebeca. A pergunta é: quando foi que Deus, pela primeira vez, decidiu fazer um vaso para honra e um vaso para desonra? Deus tomou esta decisão, pela primeira vez, lá no jardim do Éden, quando houve o episódio da serpente. O Diabo enganou a Eva, e aí, lá mesmo no jardim do Éden, a Bíblia registra uma reunião onde estavam presentes a serpente, Eva, Adão e Deus. O Senhor toma a palavra e se dirige à serpente dizendo: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3:15).
Deus se dirigiu a Satanás dizendo: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente…”. Quem é esta descendência da serpente? Quem é na realidade a descendência do Diabo? É aquela uma terça parte dos anjos que Lúcifer arrastou com a sua cauda, quando da sua rebelião contra Deus. João disse: “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama Diabo e Satanás, o sedutor de todo omundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos” (Apocalipse 12:9).
Uma terça parte dos anjos foi arrastada por Satanás, quando ele se rebelou contra Deus, foi expulso do céu e atirado para a terra, juntamente com o seu líder. Quando Adão e Eva foram postos no Jardim do Éden, esse anjo rebelde já estava lá com os seus anjos. Por causa da sua atitude maligna de induzir Eva a desobedecer a Deus, o Senhor decide então permitir que aqueles anjos rebeldes que acompanharam Lúcifer na sua rebelião, também, assumissem um corpo de carne à semelhança de Adão. Paulo disse que eles são “vasos de ira, preparados para a perdição”.
O que é um vaso de desonra? É um corpo que reveste um espírito de um daqueles anjos decaídos. E o que é um vaso de honra? É um corpo que reveste um espírito de um filho de Deus, criado à sua imagem e semelhança antes da fundação do mundo. A partir daí passou a existir neste mundo duas descendências. Nesse momento Deus teve o direito de, do mesmo ventre, o de Eva, fazer um vaso para honra e um vaso para desonra. Quem foi o primeiro vaso de honra? Abel. Quem foi o primeiro vaso de desonra? Caim.
Os dois cresceram, um se tornou agricultor e o outro pastor de ovelhas. Aí, um dia algo aconteceu. O que? “Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o Senhor de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e da sua oferta não se agradou…” (Gênesis 4:3-5). Por que Deus não se agradou de Caim, nem da sua oferta? Porque Deus sabia que ele era um vaso de desonra, um filho do Diabo, um demônio revestido de carne. Quando João falava a respeito do amor entre os irmãos, ele confirmou isto e disse: “Não segundo Caim, que era do Maligno e assassinou a seu irmão; e por que o assassinou? Porque as suas obras eram más, e as de seu irmão, justas” (1ªJoão 3:12). Caim não se tornou do maligno, ele era do maligno, ele era um daqueles anjos decaídos que aprouve ao Senhor assumisse um corpo de carne, e que Jesus disse a Paulo que são vasos de ira destinados a perdição.
Depois do episódio de Caim matar Abel, o Texto Sagrado diz: “Retirou-se Caim da presença do SENHOR e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden” (Gênesis 4:16).
No versículo seguinte, a informação diz: “E coabitou Caim com sua mulher; ela concebeu e deu à luz a Enoque…” (Gênesis 4:17). A pergunta que muitos tem feito é: Com quem Caim se casou se naquele tempo só havia Adão e Eva? A resposta é fácil se você discernir que, entre o versículo 16 e 17 do capítulo 4 de Gênesis, passaram-se muitos anos. Naquele tempo o período de vida do ser humano era muito longo; “Depois que gerou a Sete, viveu Adão oitocentos anos; e teve filhos e filhas. Os dias todos da vida de Adão foram novecentos e trinta anos; e morreu” (Gênesis 5:4,5). Vemos, então, que Adão teve muito tempo para ter muitos filhos e filhas. Os muitos filhos e filhas de Adão foram por sua vez também se casando tendo filhos e filhas e a terra foi sendo povoada. A partir daí, fica claro que Caim se casou, ou com uma de suas muitas irmãs, ou, com uma sobrinha.
A partir do casamento de Caim se estabelece na terra a descendência da serpente, só que, agora, num corpo de carne. A profecia lá do Éden, dizia: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente…”. Quem era esse descendente da mulher? Esse descendente era o povo de Israel e, também, o Senhor Jesus. Desde o início, Deus proibia qualquer comunhão entre o seu povo e o povo que ele destinou para perdição. O que é que aconteceu então? O texto sagrado responde: “Como se foram multiplicando os homens na terra, e lhe nasceram filhas, vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhe agradaram” (Gênesis 6:1,2). Por falta de revelação, muitos têm especulado que os “filhos de Deus” eram anjos que possuíram as filhas dos homens. Para respaldar essa especulação diabólica usam o texto da epístola de Judas, que diz: “E a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicilio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia” (Judas 6). Segundo esses especuladores, esses anjos aqui mencionados por Judas são aqueles que, segundo eles, mantiveram relações sexuais com as filhas dos homens. Pura heresia, pois a Bíblia diz que os anjos de Deus são assexuados e não tem corpos.
No texto de Judas quando diz “E a anjos, os que não guardaram o seu estado original”. A pergunta é: qual estado? O lugar de honra, de glória e de domínio que eles possuíam no céu. Esses anjos eram espiritualmente puros e eram instrumentos da glória de Deus, mas caíram. Judas diz em seguida: “mas abandonaram o seu próprio domicílio”. Esta foi uma decisão que esses anjos tomaram propositadamente. Eles fizeram uma péssima decisão: preferiram Satanás a Deus. É aquela uma terça parte dos anjos que Satanás arrastou com a sua cauda.
Se os anjos de Deus não tem corpo e são assexuados, como entender, então, o texto de Gênesis 6, que diz que “vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais lhe agradaram”. Quem eram esses “filhos de Deus”? Era a descendência piedosa de Sete. E quem era essas “filhas dos homens”? Era a descendência ímpia de Caim. Aqui as duas descendência se entremearam e o resultado foi catastrófico. A escritura diz que “Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração”. “A terra estava corrompida à vista de Deus e cheia de violência. Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque todo ser vivente havia corrompido o seu caminho na terra” (Gênesis 6: 5, 11 e 12). O resultado todos nós sabemos. Deus resolveu extinguir toda raça humana através do dilúvio.
Deus decidiu acabar com toda raça humana através do dilúvio e escolheu Noé e sua família para darem continuidade a toda descendência, tanto à descendência de Deus, como à “…na qual, poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água”(1ª Pedro 3:20). Veio o dilúvio e toda a terra foi destruída. Quando as águas baixaram “os filhos de Noé, que saíram da arca, foram Sem, Cam e Jafé; Cam é o pai de Canaã. São eles os três filhos de Noé; e deles se povoou toda a terra” (Gênesis 9: 18 e 19).
Toda a terra foi povoada a partir dos três filhos de Noé. Quem são os descendentes de Sem? São os semitas, os judeus, povo eleito e abençoado por Deus. Quem são os descendentes de Jafé? São os gentios que Deus predestinou para a salvação, e que têm os mesmos direitos dos judeus. Quem são os descendentes de Cam? São os filhos do Diabo, a descendência da serpente, anjos caídos que aprouve a Deus permitir que se revestissem de carne. Essa descendência maligna, inicialmente, estabeleceu-se em Canaã, depois se instalou na África, no Oriente médio.
Agora podemos entender o porquê de haver oito pessoas na arca, quando o número da perfeição de Deus é o 7. Destas oito pessoas, sete eram filhos de Deus, e uma era filho do Diabo. Cam era o filho da perdição! Ele estava ali para poder dar continuidade à descendência maligna. É interessante observar que sempre há um episódio para que o filho do Diabo seja manifesto. No princípio, foi Caim matando Abel. Agora, depois do dilúvio vemos Cam fazendo conhecida a nudez do seu Pai. Lá na frente, faraó maltrata o povo de Deus e Judas trai a Jesus.
Acabou o dilúvio e a Bíblia diz que “Sendo Noé lavrador, passou a plantar uma vinha. Bebendo do vinho, embriagou-se e se pôs nu dentro de sua tenda. Cam, pai de Canaã, vendo a nudez do pai, fê-lo saber, fora, a seus dois irmãos. Então, Sem e Jafé tomaram uma capa, puseram-na sobre os próprios ombros de ambos e, andando de costas, rostos desviados, cobriram a nudez do pai, sem que a vissem” (Gênesis 9:20-23). Noé bebeu vinho além da conta e se embriagou, adormecendo nu dentro da tenda. Vem o seu filho Cam e, vendo que o pai estava nu, fala alto e abertamente: “O papai está nu, o papai está nu”.Veja que a tendência dos filhos do Diabo é sempre de fazer acusação, é sempre de descobrir a nudez dos filhos de Deus.
Qual foi a reação de Sem e Jafé? Cobriram-se com uma capa, entraram na tenda de costas desviando o olhar para não ver a nudez do pai, e o cobriram, sem que o vissem. O que aconteceu então? As sagradas letras dizem que “despertando Noé do seu vinho, soube o que lhe fizera o filho mais moço e disse: Maldito seja Canaã; seja servo dos servos a seus irmãos. E ajuntou: Bendito seja o Senhor Deus de Sem; e Canaã lhe seja servo. Engrandeça Deus a Jafé, e habite ele nas tendas de Sem; e Canaã lhe seja servo” (Gênesis 9:24-27). Vemos aqui Deus, pela boca de Noé, mais uma vez, mostrando as duas descendências, os vasos de honra que para glória preparou de antemão, a descendência de Sem e Jafé, Judeus e gentios eleitos e predestinados, e os vasos de desonra, a descendência de Cam, os vasos de ira preparados para a perdição.
Muita gente pergunta por que Noé, em vez de amaldiçoar Cam, amaldiçoou o filho dele, Canaã? Porque ao usar a expressão “maldito seja Canaã’, Noé estava na verdade dizendo “maldita seja toda a tua descendência”. Nesta expressão estava incluso Cam e toda a sua descendência. E sobre a descendência de Cam, a Bíblia diz: “E o limite dos Cananeus foi desde Sidom, indo para Gerar, até Gaza, indo para Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim, até Lasa. São estes os filhos de Cam, segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, em suas nações” (Gênesis 10:19,20). Mais adiante o texto sagrado complementa a informação e diz: “Ora, os homens de Sodoma eram maus e grandes pecadores contra o Senhor” (Gênesis 13:13). O patriarca Abraão conhecia aquela profecia lá do Éden, onde Deus havia dito que poria inimizade entre a descendência da serpente e o descendente da mulher. Abraão sabia que esta descendência da serpente teve a sua continuidade após o dilúvio, através de Cam e Canaã, e que não poderia haver comunhão da luz com as trevas, do justo com o ímpio, dos vasos de honra com os vasos de desonra. Pouco antes da sua morte, o nosso pai na fé manifesta o cuidado em não desobedecer esta ordem divina: “Disse Abraão ao seu mais antigo servo da casa, que governava tudo o que possuía: Põe a mão por baixo da minha coxa, para que eu te faça jurar pelo SENHOR, Deus do céu e da terra, que não tomarás esposa para meu filho das filhas dos Cananeus, entre os quais habito; mas irás à minha parentela e daí tomarás esposa para Isaque, meu filho” (Gênesis 24:2 a 4).
Mais adiante, Isaque segue o mesmo comportamento do seu Pai: “Isaque chamou a Jacó e, dando-lhe a sua bênção, lhe ordenou, dizendo: Não tomarás esposa dentre as filhas de Canaã” (Gn 28:1). Quando a família de Jacó se estabeleceu no Egito, ela se transformou, ao longo dos anos, numa grande nação. O livro de Gênesis retrata a história de uma família, o livro de Êxodo a história de uma nação. Quando a nação de Israel era conduzida do cativeiro do Egito para Canaã, a terra prometida, a proibição de Deus é mais uma vez ratificada: A ordem de Deus era para que não se casassem com descendentes da perdição, para que não misturassem trevas com luz. Quem é da salvação se casa com filhos da luz; quem é para perdição, com filhos da perdição.
“Quando o SENHOR, teu Deus, te introduzir na terra a qual passas a possuir, e tiver lançado muitas nações de diante de ti, os heteus, e os girgazeus, e os amorreus, e os cananeus, e os ferezeus, e os heveus, e os jebuseus, sete nações mais numerosas e mais poderosas do que tu; e o SENHOR, teu Deus, as tiver dado diante de ti, para as ferir, totalmente as destruirás; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas; nem contrairás matrimônio com os filhos dessas nações; não darás tuas filhas a seus filhos, nem tomarás suas filhas para teus filhos” (Deuteronômio 7: 1 a 3). Quem são estas nações que Deus tanto abomina? A descendência de Cam e Canaã. Podemos confirmar isto em Gênesis: “Canaã gerou a Sidom, seu primogênito, e a Hete, e aos jebuseus, aos amorreus, aos gigarseus, aos heveus…” (Gênesis 10: 15 a 17).
A verdade bíblica incontestável é que há neste mundo um povo que foi predestinado para a salvação, e há também um povo que foi destinado para à perdição. O Senhor falando através do profeta Isaías confirma isto, e diz: “Os animais do campo me glorificarão, os chacais e os filhotes de avestruzes; porque porei águas no deserto e rios, no ermo, para dar de beber ao meu povo, ao meu escolhido, ao povo que formei para mim, para celebrar o meu louvor” (Isaías 43: 20 e 21). Quem é este povo escolhido de Deus, que ele mesmo formou para celebrar o seu louvor? Aqueles que ele predestinou para salvação, judeus e gentios eleitos e predestinados.
Pela boca do mesmo profeta Isaías, agora o Senhor diz: “Porque a minha espada se embriagou nos céus; eis que, para exercer juízo, desce sobre Edom e sobre o povo que destinei para destruição” (Isaías 34:5). Está claro então que há um povo que é escolhido de Deus, um povo que Deus formou para o louvor da sua glória, e há um povo que Deus destinou para perdição, a partir de Caim. Não podemos em hipótese alguma negar esta verdade. Quando Jesus falou acerca da sua segunda vinda, ele, mais uma vez, deixou bem claro esta realidade e disse: “Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda.” (Mateus 25: 31 a 33).
Mais uma vez, estão evidentes os dois tipos de povos que habitam esta terra; aqui, o Senhor Jesus os nominou de ovelhas e cabritos. Quem nasce ovelha morre ovelha, e quem nasce cabrito morre cabrito. Não existe esta coisa absurda que muitos tem ensinado que todos nascem cabritos, mas quando aceitam Jesus se tornam ovelha. O cabrito jamais se converte, jamais se tornará ovelha. A ovelha por sua vez jamais se tornará cabrito, pelo contrário, no momento que Deus a chama, ela se arrepende das suas más obras, do tempo em que ela viveu segundo o curso deste Mundo, e todos vêem nela o milagre do novo nascimento. O Salmista Davi esclarece e diz: “Desviam-se os ímpios desde a sua concepção; nascem e já se desencaminham, proferindo mentiras” (Salmos 58:3). Desde que eles são concebidos, já são ímpios. São vasos de desonra, vasos de ira preparados para destruição. O Senhor disse: “Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons” (Mateus 7:18). Da mesma maneira que uma bananeira não pode se transformar numa jaqueira, nem um leão se transformar num macaco, muito menos uma ovelha se transformar num cabrito, nem um cabrito numa ovelha.
O milagre do novo nascimento só é operado naqueles que foram predestinados para a salvação. Paulo disse aos efésios: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência”(Ef 2:1,2).
Os vícios, a mente corrompida, a idolatria, os maus hábitos, os desejos satânicos e as atitudes diabólicas que nos acompanhavam, quando andávamos segundo o príncipe da potestade do ar, são totalmente arrancados da nossa vida. Os destinados à perdição não mudam nunca.
Normalmente, o povo de Deus usa como argumento para contradizer a verdade bíblica, o fato de que existem pessoas que já foram crentes e que um dia se desviaram e morreram na incredulidade. Pessoas que, durante algum tempo, estiveram na igreja, mas, que um dia se foram e morreram no espiritismo, nas drogas, ou na prostituição, e isto segundo eles é a prova de que uma ovelha se transformou em cabrito. Pura lógica humana, pois a verdade bíblica é outra, ou seja, essas pessoas que se desviaram para perdição, nunca foram crentes. Eram falsos crentes, o joio no meio do trigo. João disse: “Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos” (1ª João 2:19). Só com os olhos iluminados é que nós podemos entender o porquê de existirem pessoas que um dia vieram à igreja, permaneceram algum tempo conosco, e logo em seguida se foram. Hoje estão nos mesmos lugares de onde tinham saído, na bruxaria, na idolatria, nos vícios, nas prostituições etc. Só a revelação da graça, faz com que nós encontremos respostas na palavra de Deus para situações como essas. Quem não é ovelha, não permanece na casa de Deus. O predestinado vem porque o Pai o traz, o joio vem por causa das suas necessidades e, quando menos se espera, ele vira as costas para Deus e se vai. Há joio que o inimigo planta no nosso meio, que só depois de meses é que podemos constatar a sua descendência maligna. No princípio demonstram um aparente arrependimento, participam da ceia, cantam no coral, dão ofertas e dízimos, mas chega um dia que a mascara cai por terra; são lobos vestidos de ovelhas. Envolvem-se em escândalos, fofocas, rebeliões, mentem, roubam, prostituem-se etc. Não eram predestinados, não eram ovelhas, pois os que são de Deus não retrocedem nunca. A palavra predestinada de sabedoria afirma: “Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para conservação da alma” (Hebreus 10:39).
Fica absolutamente claro, então, que há pessoas neste mundo que são demônios encarnados, anjos caídos que tomaram corpo e que Paulo disse que são vasos de ira preparados para a perdição. Pedro se referindo a essa descendência da serpente, diz: Esses, todavia, como brutos irracionais, naturalmente feitos para presa e destruição, falando mal daquilo em que são ignorantes, na sua destruição também hão de ser destruídos, recebendo injustiça por salário da injustiça que praticam. Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco; tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos.” (2ª Pedro 2: 12 a 14).
Eles foram feitos naturalmente para presa e destruição, são insaciáveis no pecado, engodam almas inconstantes, têm o coração exercitado na avareza, são filhos do mal.
Para esta descendência do mal, já existe uma sentença de condenação. Judas diz: “Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único e Soberano Senhor, Jesus Cristo” (Judas 4). Judas está falando de pessoas, vasos de desonra que se introduziram na igreja com dissimulação, disfarçadamente, o lobo vestido de ovelha, e que ele diz: Foram antecipadamente pronunciados para esta condenação. Quer dizer que o Juiz divino já pronunciou condenação para estas pessoas, antecipadamente. Observe que ele diz que, são homens ímpios, são demônios que assumiram um corpo de carne igual ao dos filhos de Deus. O que é que eles fazem? Transformam em libertinagem a graça de nosso Deus. O que mais? Negam que Jesus é o nosso único e Soberano Senhor, afirmam que existem três deuses, três pessoas distintas e que Jesus é apenas a segunda pessoa de uma falsa trindade.
Negar esta verdade é chamar Deus de mentiroso, é usar de desonestidade espiritual. O verdadeiro filho de Deus se submete à verdade revelada do Pai. O Espírito Santo falando através de Pedro, diz: “Pedra de tropeço e rocha de ofensa. São estes os que tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram postos” (1ª Pedro 2:8). Esta é a verdade, ou seja, há pessoas que foram postas neste mundo para serem desobedientes, para tropeçarem na palavra. As pessoas têm muita dificuldade em entender este mistério, porque não discernem as coisas do espírito, espiritualmente. Elas só vêem a carne, não conseguem ver que a carne é apenas uma embalagem, um vaso onde habita um espírito, ou de um filho de Deus criado a sua imagem e semelhança antes da fundação do mundo, ou de um daquele anjos rebeldes que acompanharam Lúcifer na sua rebelião contra Deus. É importante saber que o fato dos cavalos terem quatro patas, não significa dizer que todos os animais de quatro patas sejam cavalos. De semelhante modo, o fato dos filhos de Deus terem um corpo de carne, não significa dizer, que todos os que têm um corpo de carne sejam filhos de Deus.
Há algumas características que são muito marcantes nos filhos do Diabo. A Bíblia diz que eles não têm a fé dos filhos de Deus, eles jamais crerão em Jesus, não se submeterão à sua palavra, nem produzirão bons frutos. O profeta Isaías diz que “…a descendência dos malignos jamais será nomeada” (Isaías 14:20). Para que não reste nenhuma dúvida, o profeta é ainda mais incisivo dizendo: “Ainda que se mostre favor ao perverso, nem por isso aprende a justiça; até na terra da retidão ele comete a iniqüidade e não atenta para a majestade do SENHOR” (Isaías 26:10). Até na terra da retidão, na igreja, o filho do Diabo comete a iniqüidade. Por isso, que existem tantos escândalos na igreja de Jesus: adultérios, roubos, prostituição, homossexualismo, lesbianismo, o comércio da fé e tantos outros semelhantes a estes.
O Apóstolo Paulo, mediante revelação de Deus, diz à Igreja de Tessalonica que “…a fé não é de todos”(2ª Tessalonicenses 3:2). A Tito, ele disse que era servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, “…para promover a fé que é dos eleitos de Deus…”(Tito 1:1). Só os eleitos possuem a fé genuína, a fé em Cristo. Os homens perversos e maus não têm a mesma fé que os filhos de Deus têm. Eles têm uma fé natural para crer em mentiras, em velas, em reencarnação, em correntes de libertação, em cristais, búzios e tantas outras malignidades. Os eleitos de Deus no dia em que são chamados por Deus através da palavra, são selados com o Santo Espírito da promessa e passam a ter a fé santíssima. A semente da perdição jamais terá esta fé, porque jamais terão o Espírito Santo em suas vidas. Judas disse: “São estes os que promovem divisões, sensuais, que não têm o Espírito” (Judas 19). O Espírito Santo só é concedido aos que Deus predestinou para salvação. E os outros? Não têm o Espírito.
O sistema religioso teima em dizer que todos os homens têm fé e que cada um decide, por livre-arbítrio, crer ou não crer em Jesus. Isto contraria frontalmente os ensinamentos do Nosso Senhor Jesus Cristo. Todas as vezes que pessoas ouviam os ensinamentos do Senhor Jesus e não criam, ele dizia: “Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas” (João 10:26). Quem não é ovelha de Jesus, é cabrito do Diabo. O cabrito, mesmo você gastando tempo e mostrando na Bíblia, ele diz: está na Bíblia, mas não é assim. Ele não consegue crer na palavra, porque ele foi posto para a desobediência. As ovelhas agem diferente. O Senhor Jesus disse: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem” (João 10:27).
Num outro momento do seu ministério terreno, Jesus se deparou com pessoas que refutavam os seus ensinamentos, pessoas que não compreendiam aquilo que ele ensinava. O Senhor confrontou esta gente e perguntou: “Qual a razão por que não compreendeis a minha linguagem? É porque sois incapazes de ouvir a minha palavra. Vós sois do Diabo, que é o vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos…” (João 8: 43 e 44). Perceba que há pessoas nesta terra que tem uma incapacidade auditiva, elas não possuem tímpanos de ovelha, são incapazes de compreender a palavra de Deus. Por que? Porque são filhos do Diabo. Eles não obedecem não é por que têm livre-arbítrio, eles não obedecem porque foram postos para desobedecer, porque não são de Deus. “Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso, não me dais ouvidos, porque não sois de Deus” (João 8:47). O sistema religioso, contrariando a verdade da Palavra de Deus, diz que, quando alguém não obedece é porque usou o livre-arbítrio. A Bíblia diz que não, é porque ela é um filho do Diabo. É o joio, o cabrito, o vaso de desonra, a planta que o Pai não plantou. O Senhor disse: “Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada” (Mateus 15:13). Há planta que o Pai plantou e há planta que o Pai não plantou. Qual é a planta que o Pai plantou? O trigo. Qual é a planta que o Diabo plantou? O joio.
Um dia todos nós estivemos no meio dos filhos do Diabo e tínhamos atitudes de lobo, mas, na realidade, sempre fomos ovelhas. No tempo de Deus o Bom Pastor nos buscou e nos trouxe de volta para o aprisco. Os filhos do Diabo jamais serão trazidos, jamais serão transformados, jamais receberão vida outra vez. O profeta Daniel disse: “Muitos serão purificados, embranquecidos e provados; mas os perversos procederão perversamente, e nenhum deles entenderá, mas os sábios entenderão” (Daniel 12:10). As palavras de Jesus, no Apocalipse de João, testificam com as palavras de Daniel: “Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se” (Apocalipse 22:11).
A partir do entendimento que o Espírito Santo nos da acerca destas duas descendências é que nós começamos a compreender muitas coisas que antes não compreendíamos. Por exemplo: o texto sagrado nos trás o relato de um episódio ocorrido com exército de Senaqueribe, o rei da Assíria, que diz: “Então, naquela mesma noite, saiu o Anjo do SENHOR e feriu, no arraial dos assírios, cento e oitenta e cinco mil; e quando se levantaram os restantes pela manhã, eis que todos estes eram cadáveres” (2ªReis 19:35). Noutra oportunidade, o relato bíblico diz: “As mulheres se alegravam e, cantando alternadamente, diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus milhares” (1ª Samuel 18:7). Ao relatar a décima praga enviada sobre os Egípcios a Escritura diz: “Aconteceu que, à meia noite, feriu o SENHOR todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se assentava no seu trono, até ao primogênito do cativo que estava na enxovia, e todos os primogênitos dos animais” (Êxodo 12:29). Por que um anjo do Senhor, de uma só vez matou cento e oitenta e cinco mil pessoas?
Por que Saul matou milhares e Davi dez milhares? Por que o Senhor matou todos os primogênitos no Egito? Agora nós sabemos que todos eles eram filhos do Diabo, vasos de desonra, e como tais não contam para Deus.
O sistema religioso doentio, que está aí fora estabelecido, não aceita e não compreende essa verdade de que há nesta terra os filhos de Deus e os filhos do Diabo. Eles não conseguem discernir que anjos caídos tomaram corpo e que a partir daí a Bíblia os chama de vasos de ira preparados para perdição. É a descendência da serpente, que passou a existir neste mundo numa forma humana a partir de Caim, tendo a sua continuidade através de Cam, Faraó, Judas, Herodes, Hitler e todos aqueles que nos dias atuais rejeitam o Soberano Senhor. Judas, ao se referir a esta semente da perdição, diz que estes homens são como “ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades, estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre” (Judas 13).
O que significa estrelas errantes? Significa anjos caídos. O profeta Isaías chama Satanás de estrela da manhã. João diz, no livro de Apocalipse, que Satanás com a sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu. A verdade bíblica é que existem pessoas nesta terra que são estrelas errantes, anjos caídos que assumiram um corpo de carne.
Judas era uma destas estrelas errantes, era um vaso de desonra, um joio no meio do trigo, um filho do Diabo. Jesus certa ocasião se dirigiu aos apóstolos e perguntou: “Não vos escolhi eu em número de doze? Contudo, um de vós é Diabo. Referia-se ele a Judas, filho de Simão Iscariotes; porque era quem estava para traí-lo, sendo um dos doze” (João 6:70).
Judas era um demônio encarnado, um vaso de ira destinados para a perdição. Por que Jesus chamou Judas para ficar no meio dos apóstolos? Por que havia uma profecia de que o filho de Deus seria traído e vendido por trinta moedas de prata, e somente um filho do Diabo poderia desempenhar este papel. Judas foi chamado para fazer este serviço sujo. A oração sacerdotal de Jesus confirma isto: “Quando eu estava com eles, guardava-os no teu nome que me deste, e protegi-os, e nenhum deles se perdeu, exceto o filho da perdição, para que se cumprisse a Escritura” (João 17:12). O Senhor Jesus só guarda aqueles que foram predestinados, os eleitos, os escolhidos. Nenhum deles se perderá. Só se perderão os filhos do Diabo, as estrelas errantes. Judas se perdeu por que era filho da perdição. Pedro disse que “…Judas se transviou, indo para o seu próprio lugar” (Atos 1:25). Que próprio lugar é este que Pedro se refere? O Inferno. Pedro certamente lembrou as palavras de Jesus que disse que o inferno foi preparado para o Diabo e seus anjos.
Infelizmente nós estamos vivendo hoje uma péssima caricatura do cristianismo. No verdadeiro Cristianismo não há lugar para a lógica, filosofias ou pensamentos humanos. Tudo já está consumado. Nós estamos apenas vivenciando-o cumprimento de um plano elaborado soberanamente por Deus. São desígnios preestabelecidos por Deus e ninguém poderá frustrá-los. A revelação da graça de Deus diz: “Entretanto, devemos sempre dar graça a Deus, por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade”(2ª Tessalonicenses 2:13). Este é um plano perfeito de Deus. Portanto, se o Senhor soberanamente quis fazer vasos para honra e vasos para desonra, quem é neste mundo que poderá frustrar os planos preestabelecidos por Deus? Jó responde a esta pergunta dizendo: “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado”(Jó 42:2). O Senhor determinou que os seus filhos, aqueles que Ele predestinou segundo o beneplácito da sua vontade, têm a vida eterna. Os anjos caídos que tomaram corpo, os filhos do Diabo, o joio, os vasos de ira preparados para perdição já estão condenados.
-via  Carlos Magno de Miranda

Aqui está uma história estranha sobre Trump, Pastor Mark Burns e uma aranha.- Por David A. Fahrenthold

Mark Burns agrava a multidão durante uma manifestação para o candidato presidencial Donald Trump na Carolina do Sul em 10 de feverei...